terça-feira, 4 de setembro de 2018

[POLITICA] Sobre o Horário Eleitoral Gratuito em Radio e TV

Começou no  sábado, dia 1 de setembro, o Horário Eleitoral Gratuito, no rádio e televisão, e segue até 4 de outubro.
Ola amigos e leitores do Blog...
Tudo bem com vocês? Espero que sim, mais uma vez estou aqui trazendo-lhes um assunto um pouco complexo, porem é o assunto do momento e requer uma explanação.
Então boa leitura !!


Serão blocos de 12 minutos e meio, sendo no rádio às 7h00 e às 12h00, e na TV às 13h00 e às 20h30.
Esses blocos serão divididos entre os candidatos de forma desigual, devido ao número de parlamentares na Câmara Federal de cada partido que compõe a coligação de cada candidato.
Desta forma, o candidato com maior tempo é Alckmin, cuja coligação é composta de 9 partidos, somando o maior número de parlamentares de todos os candidatos. Ele terá 5 minutos e 32 segundos.

Por este mesmo critério, os demais candidatos e seus tempos são: 
2'23" Lula
1'55" Henrique Meirelles
40" Alvaro Dias
38" Ciro Gomes
21" Marina Silva
13" Guilherme Boulos
8" Daciolo
8" Eymael
8" Bolsonaro
5" João Amoedo
5" João Goulart Filho
5" Vera Lúcia

Além disso, propagandas de 30 segundos serão inseridas durante todo o dia nos intervalos comerciais das emissoras, por isso chamadas de inserções. Neste caso, novamente a quantidade de inserções de cada candidato é totalmente desigual, utilizando os mesmos critérios.
É totalmente previsível que o candidato que será mais atacado será aquele que estiver à frente dos demais nas pesquisas, portanto Bolsonaro. Ele será alvo de quase todos os adversários, mas principalmente daqueles que mais dispõe de tempo para jogar fora atacando. 
É tido como certo que Alckmin utilizará parte de seu tempo para atacar Bolsonaro, até mesmo porque o tucano já fez comentários a este respeito.
Lembrando o leitor que cada vez que um candidato for ofendido e/ou caluniado, este terá o direito de resposta dentro do horário do candidato que cometeu a ofensa, e utilizando o mesmo tempo que foi gasto para atacá-lo. Portanto, Bolsonaro poderá ser visto se apresentando também no horário de outros candidatos, principalmente Alckmin e Lula.
Observação: aqui, até o momento, somos obrigados a falar do tempo de Lula, e não de Haddad, pois o resultado do julgamento da candidatura do político condenado só deve ser anunciado após o início do Horário Eleitoral. O PT tem prazo até 17 de setembro para substituir Lula por Haddad, o que está causando confusão na cabeça das pessoas e ainda deverá causar muito mais, além de ser motivo de piada para muitos.
Por sua vez, Haddad já virou réu na semana passada por irregularidades nas obras das ciclovias de São Paulo, e no dia  (27/8) foi denunciado pelo MPE por recebimento de caixa 2 em 2012. Nestes dois processos, porém, uma possível condenação só chegará no futuro, e portanto não servirá para impugnar a candidatura nesta eleição.
A BBC publicou semana passada matéria simulando 3 cenários possíveis, inclusive com a hipótese de Lula continuar candidato até as eleições, e ter sua candidatura impugnada após o pleito.
O Correio Brasiliense, juntamente com vários outros jornais, publicou  matéria tratando da forte ideia da cúpula do PT de manter Lula como o candidato até mesmo após uma possível rejeição pela justiça. Esta ideia vem crescendo dentro do partido, e nas palavras do cientista político Geraldo Tadeu, da UERJ, "é uma estratégia de tudo ou nada, de ruptura do sistema", pois "a anulação dos votos do petista seria um desastre para a democracia".
Este ano terá, sem dúvida, um Horário Eleitoral inusitado.
Creditos: Airton Alvares, São Paulo, SP, 28/08/2018.